EMERGÊNCIA - 47 3422.3132

Filhotes e Alimentação

Investir na alimentação é um dos requisitos para que o filhote cresça e se desenvolva de forma sadia

Publicado em: 05/03/2012

Muitas pessoas têm dúvidas sobre como escolher a melhor ração para seu pet. Tendo em vista a importância de uma alimentação saudável para o crescimento e desenvolvimento dos animais, o Cães & Gatos dá algumas dicas valiosas.

Qual ração escolher?

Rações secas? Rações úmidas? Ou alimentação caseira*?

As rações super premium, com ingredientes balanceados e de alta qualidade, são as mais indicadas.

Não utilize?
*Algumas comidas da alimentação humana são proibidas para cães. O feijão, por exemplo, pode irritar o intestino do animal; massas, pães, doces e embutidos fazem parte de uma lista negra da alimentação canina.

Filhotes recém-nascidos (até 30 dias): a amamentação é a mais indicada até um mês de vida. Após esse período, rações para filhote se tornam mais adequadas.

Bebês órfãos ou afastados muito cedo de suas mamães: podem ser nutridos com um substituto do leite materno, adquirido em pet shops. Leite de vaca é pouco nutritivo para os cães e gatinhos, e pode causar diarréia.

Filhotes desmamados: rações para filhotes são as mais indicadas. Elas costumam ser mais calóricas, com porções generosas de proteínas. Além disso, reforçam a imunidade dos animaizinhos e são próprias para a mastigação. Os filhotes devem ingerir ração para filhote até atingir um ano de idade.

Se o animalzinho não estiver com a dentição pronta para mastigar a ração, recomenda-se o uso de papinha de desmame, facilmente encontrada em pet shops, mas devem ser enriquecida com ovos e farinha de trigo.

Cães a partir de um ano de idade/adultos: seca, úmida ou semiúmida. Uma boa opção é misturar ração seca com ração úmida. Rações para adultos são menos calóricas, adequadas às necessidades desta fase.

Dicas:
*Restos de comida, doces e massas devem ser evitados, mesmo que o cão goste ou queira comer. O cão que “pede” comida da mesa dos donos deve ser repreendido ou retirado do local das refeições familiares;

*Nunca dê muitos suplementos;

*Não introduza rapidamente novidades na alimentação: mudanças alimentares devem ser feitas gradativamente para que o sistema digestivo do animal se acostume com a nova comida.

Conte sempre com o Cães & Gatos para cuidar da saúde do seu amiguinho!

__________________________________________
1 Guia de Saúde Pet. São Paulo: Ed. Abril, 2010.